Hospitais

Um sofisticado e complexo sistema de filtragem e ar condicionado para hospital abastece o complexo cirúrgico e UTIs dos hospitais mais bem equipados. Com isso, o ar puro que circula nesses ambientes tem o mínimo de bactérias, reduzindo o risco de infecção hospitalar e oferecendo segurança e conforto térmico. Todo um complexo de filtragem e ar condicionado para hospital, monitorado por computadores, purifica o ar das salas cirúrgicas, pós-operatórios, UTI, UTI neonatal e UTI pediátrica. Além disso, para evitar a proliferação de fungos e bactérias, o sistema alimenta as Centrais de Material e Esterilização (CME), onde são condicionados os materiais cirúrgicos.

As vantagens de um centro cirúrgico equipado com esse sistema de ar condicionado para hospital são inúmeras, visto que os pacientes estão geralmente bastante debilitados e há exposição ampla e prolongada de tecidos e órgãos vitais ao ambiente durante as cirurgias. O ar limpo e asséptico é essencial. Esse sistema é todo automatizado através de computador. Técnicos se revezam diariamente no controle da filtragem e do ar condicionado para hospital, na troca de filtros e manutenção, inclusive dos dutos, mantendo as salas climatizadas a uma temperatura ambiente de 21o C e umidade relativa entre 35% e 45%. Para se ter uma ideia da presença de bactérias na atmosfera, o ar que respiramos em um ambiente normal tem cerca de um milhão de bactérias por pé cúbico (1 pé = 30,48 cm). Em uma sala contaminada, essa quantidade pode se elevar para 10 milhões.

Nas salas cirúrgicas desses hospitais, com a implantação do sistema de ar condicionado para hospital, a purificação é quase absoluta. O número de bactérias no ar cai de um milhão para 10 mil bactérias por pé cúbico. Pode parecer ainda um número muito alto, mas é perfeitamente tolerado pelo sistema imunológico debilitado do paciente, pois é impossível atingir assepsia total em um ambiente.

Essa filtragem é usada nas cirurgias com grande risco de infecção, como transplante de órgãos, medula óssea, cirurgias cardíacas e cerebrais. Assim, com um rigoroso controle de assepsia e o ar condicionado para hospital, tanto o corpo clínico como o paciente são beneficiados com grande segurança e conforto térmico.

Conforme a norma ABNT NBR 16401, que estabelece os parâmetros básicos e os requisitos mínimos de projeto para sistemas de ar condicionado para hospitais centrais e unitários na área hospitalar, e conforme a Norma Regulatória NR 17, em seu item 17.5.2: “Nos locais de trabalho onde são executadas atividades que exijam solicitação intelectual e atenção constantes, tais como: salas de controle, laboratórios [...], são recomendadas as seguintes condições de conforto”:

  • Níveis de ruído de acordo com o estabelecido na NBR 10152, norma brasileira registrada no INMETRO. (117.023-6 / I2)

  • Índice de temperatura efetiva entre 20º C (vinte) e 23º C (vinte e três graus centígrados). (117.024-4 / I2)

  • Velocidade do ar não superior a 0,75 m/s. (117.025-2 / I2)

  • Umidade relativa do ar não inferior a 40 (quarenta) por cento. (117.026-0 / I2)

Meu carrinho